Posts

Carta que o candidato do PT deveria escrever ao povo brasileiro - Demetrio Magnoli

Hoje na Folha, o Demetrio Magnoli sugere algumas linhas para a carta que o Haddad deveria escrever ao povo brasileiro antes de pedir uma frente ampla para derrotar o outro candidato:

 "Verde-amarelo no lugar do vermelho?
O marketing não substitui a política. Hora de assumir erros históricos, falar a verdade. O PT dividiu o país em “nós” e “eles”. Isso acaba aqui. Não qualificarei como “golpistas” os que defenderam o impeachment, a quem também peço o voto. Nunca mais usaremos o rótulo “fascistas” para marcar os que divergem de nós. Não mais usaremos o rótulo “racistas” para marcar os que discordam de políticas de cotas raciais. Adotaremos, perante a sociedade, o “protocolo ético” que meu adversário rejeitou. A pluralidade de opiniões é a substância da democracia. De agora em diante, nós a respeitaremos.

Democracia exige coerência. Lula respeitou a regra do jogo democrático ao não buscar um terceiro mandato sucessivo. Mas, reiteradamente, o PT ofereceu apoio ao regime ditatorial em…

Bolsonaro e o seu partido - Jairo Nicolau (El País)

Bolsonaro e o seu partido JAIRO NICOLAU El Pais, 12/10/2018
PSL deverá ser o grande polo de de atração para políticos de outros partidos, a começar pelos que não atingiram a cláusula de barreira. É o suficiente para que antes de abertura da próxima legislatura, o tenha se tornado a maior bancada na Câmara
Cada eleitor deve ter um resultado que considera mais surpreendente na eleição de 2018. Para uns, deve ter sido a votação obtida por Jair Bolsonaro. Para outros, a derrota de nomes tradicionais da política brasileira, a mais impressionante delas a da ex-presidente Dilma Rousseff. Escrevo e ainda me choco. Uma ex-presidente, vitoriosa em duas eleições, chega em quarto lugar na disputa para Senado de um Estado. Nada me surpreendeu mais, porém, do que a votação obtida pelo Partido Social Liberal (PSL) nas eleições para a Câmara dos Deputados. Bolsonaro se filiou ao partido no dia 7 de março de 2018, um mês antes do prazo definido por lei para quem quer ser candidato. Portanto, ele dispôs de…

Pesquisa IBOPE em 6/10: Bolsonaro chega a 41pc dos votos validos - IstoE

Image
Ibope: Bolsonaro chega a 41% dos votos válidos na véspera da votaçãoISTOÉ, 06/10/18 Na véspera da eleição presidencial, Jair Bolsonaro (PSL) cresceu três pontos porcentuais e chegou a 41% das intenções de votos válidos na pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada na noite deste sábado, 6. Favorito para conquistar a segunda vaga em um eventual segundo turno, o petista Fernando Haddad tem 25% dos válidos, três pontos a menos do que na pesquisa anterior, divulgada na quarta-feira. Para vencer no primeiro turno, Bolsonaro precisaria de 50% dos votos válidos mais um – ou seja, isso só seria possível com a conquista de mais nove pontos porcentuais no dia da votação. Em um segundo turno, se ele ocorresse neste momento, o placar seria de 52% a 48% para Bolsonaro, nos votos válidos. Como a margem de erro é de dois pontos porcentuais, há empate técnico no limite da margem de erro. Isso significa que há uma pequena chance de eles estarem empatados, mas a maior probabilidade é que o candidato do …

Quadro eleitoral confuso no Brasil - Paulo Roberto de Almeida e Financial Times

Financial Times se inquieta, por nós, em vista das profundas indefinições, dúvidas, angústias, preocupação, desespero, esperança, contradições, oposições, possíveis enfrentamentos e outras consequências, eventualmente benéficas, mais seguramente maléficas, que advirão de uma das eleições mais contestadas, talvez a mais difícil, já enfrentada pelo Brasil em mais de cem anos de regime republicano, pelo menos em situação relativamente democrática. Digo relativamente porque o Brasil é uma democracia de baixa qualidade, eu até diria de baixíssima qualidade, e tudo indica que, independentemente de quem seja o próximo presidente, de centro, de direita, de esquerda, mais ou menos sensato ou completamente maluco, poste ou independente, razoável ou aloprado, independentemente de quem assuma o Palácio do Planalto em 1ro de janeiro de 2019, a política brasileira, em sua essência, não mudará muito, na verdade, parece que não mudará nada, o que quer dizer que ela vai continuar piorando, pois esta…

Economist se assusta com Bolsonaro e o compara a outros ditadores da AL

O Estadão resume o editorial (com direito a capa) da Economist, que pretende combater a ameaça de Bolsonaro, mas que pode acabar promovendo-o um pouco mais.
Primeiro transcrevo a matéria do Estadão, depois o editorial da Economist.

Estadão (20/09/2018): 

'The Economist' chama Bolsonaro de 'a mais recente ameaça da América Latina' Revista britânica defensora do liberalismo traz candidato do PSL na capa, diz que governo de deputado seria 'desastroso' para o País e a região e cita experiência autoritária na Venezuela e na Nicarágua O candidato do PSL à Presidência naseleições 2018Jair Bolsonaro, é o destaque da capa da edição desta semana da revista britânica The Economist.No seu artigo principal, a publicação destaca o deputado como "a mais recente ameaça da América Latina" e considera que um eventual governo Bolsonaro seria "desastroso" para o País e a região. Leia a íntegra do artigo. O texto compara o avanço de Bolsonaro e de suas proposta…

The Washington Times: "sistema politico esquizofrênico" (PRAlmeida)

O jornalista do Washington Times telefonou-me algum tempo atrás para preparar esta matéria. A despeito da polarização recente, creio que meus comentários se mantêm em sua substância.
Paulo Roberto de Almeida

Jair Bolsonaro, Lula reflect Brazil's election chaos - Washington Times Print By Frederic Puglie -  Special to The Washington Times - - Sunday, September 9, 2018 https://www.washingtontimes.com/news/2018/sep/9/jair-bolsonaro-lula-reflect-brazils-election-chaos
It says something about Brazil’s political predicament these days that the two personalities dominating the perplexing presidential campaign just weeks before the vote are, respectively, in prison and in intensive care. Former President Luiz Inacio Lula da Silva, the iconic stalwart of the continent’s left now serving a 12-year prison sentence for corruption, remains the clear front-runner but will most likely be kept off the ballot. Jair Bolsonaro, the polarizing conservative congressman widely known as “Brazil’s Trump,” l…

Marcos Lisboa: um possível ministro da Fazenda do PT? - Geraldo Samor (Brazil Journal)

BRAZIL JOURNAL 19set18 Marcos Lisboa: “Chega de amadorismo irresponsável”Sem reformas já, outra década perdida Geraldo Samor Marcos Lisboa acha que a polarização do País e a falta de um debate honesto na campanha vão dificultar a aprovação das reformas no próximo Governo. Ele destaca a superficialidade de muitas das propostas dos assessores dos candidatos.

Desde que saiu do Governo, o ex-secretário de política econômica se tornou um dos melhores intérpretes da urgência das reformas previdenciária, fiscal e na máquina do Estado. Para ele, se as reformas não forem feitas nos próximos dois anos, “a última crise que tivemos terá sido só um tira-gosto perto da gravidade da próxima.”

Nesta conversa com o Brazil Journal, ele defende que os candidatos de centro se unam “contra o autoritarismo de qualquer lado” e achou importante lembrar o óbvio: qualquer novo Presidente terá que negociar com o Congresso para aprovar as reformas, sem as quais podemos ter outra década perdida.

A seguir, os melhores tr…